Ajustando o Foco

Foco no Homem

Durante um bom tempo da minha vida cristã eu abordei a leitura bíblica com um foco muito maior no ser humano do que eu realmente deveria ter. Descobri que essa abordagem é a mais comum entre a maioria das pessoas.

Conforme eu estudava e me aprofundava mais na Palavra com a ajuda de alguns grandes pregadores da nossa geração*, Deus foi revelando algo incrível em relação à Bíblia:

A Bíblia é 100% sobre Deus! 

É fato que Deus conduziu a história da humanidade de maneira que a sua palavra fosse preservada até hoje e esteja cada vez mais disponível para todos. É também verdade que “toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra” 2Tm3:16,17. Porém, ao lermos a Bíblia devemos orar pela orientação divina para que a nossa interpretação não seja focada nas obras dos homens, mas sim na maravilhosa graça de Deus.

Jesus Cristo está presente nas mais inusitadas histórias bíblicas. Quero agora ilustrar através de um famoso relato bíblico como a Bíblia pode ser abordada de maneiras totalmente diferentes.

Tomemos como exemplo o livro de Jonas. Vá em frente, leia o livro, são apenas 4 capítulos. Após a leitura tente explicar qual é a moral da história.

Se a sua explicação foi algo do tipo “devemos sempre obedecer a Deus quando Ele nos pede algo” ou “devemos sempre obedecer ou sofreremos as consequências” ou “quem não obedece sofre consequências”, você faz parte da maioria das pessoas que abordam a Bíblia com o foco nas obras do ser humano. O problema de tal abordagem é o legalismo, ou seja, o pensamento de que Deus pode te favorecer de acordo com as suas obras e a sua obediência. Esse foi o mesmo pensamento que levou os líderes religiosos (os fariseus, por exemplo, que formavam o maior e o mais popular dos grupos do judaísmo da época) do tempo de Cristo a ficarem cegos para o amor ao próximo e focarem somente na lei de Deus. Isso acontece com muitos de nós hoje. Apesar de criticarmos os fariseus muitos de nós agimos da mesma forma em diversos aspectos de nossas vidas.

Por favor, não interprete o meu texto como um apelo a não obediência, pois não é esse o meu objetivo. O meu objetivo é mostrar que apesar de podermos extrair a obediência como um dos pontos morais da história, temos sempre que ajustarmos o nosso foco em Deus e extrair algo de Seu maravilhoso caráter. Se nós não conseguirmos enxergar o evangelho de Cristo nas nossas leituras bíblicas, estamos num caminho que precisa ser ajustado.

Tudo o que não é evangelho é lei. Vou repetir: tudo o que não é evangelho é lei!

Todas as formas que utilizarmos para tentar nos tornar melhores pessoas que não estejam enraizadas na vida, morte, ressurreição e ascensão de Cristo, serão apenas leis que nos tornarão legalistas. Nós não teremos os resultados que procuramos se formos buscar apenas na lei, sem considerar o evangelho de Cristo. A lei é dada por Deus com o objetivo principal de nos fazer enxergar quão pecadores somos e nos dirigir então à Cristo. Se tirarmos Cristo dessa equação, a lei se torna o fim nela mesma.  E essa é a receita ideal para falso moralismo e legalismo. Se mantermos Cristo na equação, então todas as vezes que nos confrontarmos com a lei de Deus,  teremos um sentimento de gratidão pelo que Ele fez por nós, pois sem o seu sacrifício estaríamos destinados à morte eterna.

A lei por si só não nos torna melhores pessoas, assim como uma balança que nos mostra o excesso de peso não nos tornará magros, ou um espelho que nos mostra quão sujo estamos não nos tornará limpos.

Agora voltemos ao exemplo da história de Jonas e acrescentemos Cristo à nossa interpretação. A história de Jonas não é sobre aprender a obedecer ou sofrer as consequências.

Você consegue agora ver a grande diferença que existe ao lermos a Bíblia com o foco em Deus ao invés de focar no homem?A história de Jonas é sobre quão misericordioso Deus é com os religiosos sem amor, legalistas, como o próprio Jonas demonstrou ser no final do livro e também com os cidadãos de Nínive. A história é sobre como Deus nos usa mesmo quando O desobedecemos, para salvar outras almas através do nosso testemunho. Deus foi misericordioso e bondoso com as pessoas de Nínive e com o próprio Jonas, que mesmo deixando claro que não amava as pessoas daquela cidade, Deus não permitiu que ele morresse dentro do peixe. Ao invés disso, Deus deu para ele outra chance e continuou dando outras chances mesmo quando Jonas demonstrou não amar a Deus de todo o coração.  Deus nos dá tantas oportunidades para O obedecermos porque ele nos ama e é infinitamente misericordioso. A maior demonstração de seu amor foi através do sacrifício de Jesus, que se entregou para morrer em nosso lugar e ficou 3 dias na tumba, da mesma forma que Jonas ficou na barriga do peixe. Mas depois ele ressucitou e agora vive eternamente para que, os que crêem, possam ser declarados justos aos olhos de Deus e preguem de seu amor infinito para as outras pessoas.

Que você ajuste seu foco para o céu e sua leitura bíblica seja sempre focada em Deus!

Com amor em Cristo,

Danilo Alvarenga

* Alguns dos pregadores que me ajudaram a ajustar o foco ao ler a palavra de Deus: John Piper, Mark Driscoll e Tullian Tchividjian.

Esse artigo foi inspirado no livro Give Them Grace, escrito por Elyse M. Fitzpatrick e Jessica Thompson.

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *